Amhaj

Para que possais trilhar a senda luminosa é preciso responder ao Chamado. Isso significa vencerdes provas, nas quais terão confirmado o vosso elo com a verdade e com a luz. Todos os seres, um dia, penetram essa senda e alcançam a Morada Celestial. Porém, eons se passam até que o ciclo se consume. Não vos intimideis frente ao mal. Não desafieis o inimigo. Não retardeis vosso caminhar pelo clamor do passado. A poeira dos tempos será lavada do vosso ser; novas vestes trajareis, e grande será o júbilo da libertação. Porém, nessa senda pisareis sobre rosas e espinhos, e devereis aprender o mistério do Bem. É tempo de justiça. É tempo de graças. Magnífico poder, o Irmão Maior se aproxima. Silenciai vosso coração e acolhei o grande amor. Tendes a Nossa paz.

Hierarquia

domingo, 9 de outubro de 2011

Nível Divino, Regente Monádico e Avatar


Nível Divino

Primeiro subnível do nível físico cósmico, é, portanto, o seu patamar mais elevado. Nele se polariza a maior parte dos regentes monádicos, os que não começaram a ingressar no nível astral cósmico. É qualificado pela energia da vontade-poder, o Primeiro Raio, pelo fogo cósmico e pelos aspectos superiores do elemento terra, aspectos ainda desconhecidos do homem da superfície do planeta. Na vida divina está o poder de transformar a existência terrestre. Suas emanações são irradiadas para a Terra pelo centro intraterreno Miz Tli Tlan.


Regente Monádico

Núcleo mais profundo do ser. Denominado Oitava Mônada, Homem Cósmico ou Regente Avatar, foi também chamado de Pai em alguns setores do misticismo. Ao manifestar-se, dele emanam doze prolongamentos que originam sete mônadas e cinco Princípios, que também são núcleos da consciência do ser. As mônadas são seu canal de contato com o universo físico cósmico: os cinco Princípios, com o universo-antimatéria. No começo da evolução, o regente monádico polariza-se nos estratos mais elevados do físico cósmico, mas depois vai ingressando na imaterialidade do nível astral cósmico. Quando recolhe seus prolongamentos,eleva-se ao estado de Avatar.

Sua energia é o ‘’tom fundamental’’ de seus prolongamentos, Mônadas e Princípios, que revelam matizes de seu Raio. Cada um faculta-lhe determinado tipo de experiência, em diversos planetas e níveis de existência. Sob perspectiva abrangente, é o regente monádico que traça a trajetória desses prolongamentos, seguindo e cumprindo as leis evolutivas de cada nível. Esse núcleo tem um ‘’nome cósmico’’, que é energia em movimento, o pulsar de sua essência. Pelas leis evolutivas, cada mônada vive ciclos em diferentes mundos, até atingir a perfeição. As sete mônadas do mesmo regente fazem experiências simultâneas, em distintos universos; ciclicamente, podem penetrar estâncias mais plenas da divindade.

O regente impulsiona as mônadas, ajudando-as a reconhecerem a energia das Hierarquias e dos Conselhos do Cosmos. Tem a energia divina, mas só a revela por completo quando atinge o estado de Avatar, quando reúne seus prolongamentos e faz deles ‘’um só corpo’’. Em seu trajeto, o regente monádico aprende a sintetizar a energia de todos os Raios, a fundi-los e a interagir com universos solares e galáticos. A lei do sacrifício, que está implícita na lei do amor, rege seu percurso. A luz emitida pelo regente é projetada através da mônada, que como uma lente a focaliza no nível causal.Devido à sua grande intensidade e potência, no começo não pode chegar diretamente a níveis concretos. Por isso, usa a alma como filtro:

Regente: Fonte de luz

Mônada: lente

Alma: filtro

Personalidade: Imagem

No inicio do processo evolutivo do ser no reino humano, a alma possui certa opacidade e, assim a imagem formada pela projeção da luz no mundo concreto é difusa. O decorrer da evolução, a alma vai-se tornando translúcida, e a imagem, clara e luminosa. Depois, com o aumento da irradiação da mônada, a luz projetada através da alma nos planos inferiores aumenta de tal forma que a personalidade é absorvida pela alma e transfigurada. Em fase seguinte, o corpo da alma incendeia-se, e sua essência é trasladada ao plano superior. A energia da mônada incide, então, diretamente sobre a matéria. Mais tarde a mônada absorve a essência da alma e é incorporada ao regente.

Nas fases primordiais de sua evolução, a mônada volta-se para os mundos da matéria e perde temporariamente sua sintonia com o regente. Em fases posteriores, retorna essa sintonia de modo intermitente até que a certa altura passa a não necessitar de afastamentos do regente para plasmar a matéria a sua obra. Nesse ponto inicia o retorno à Origem e a vibração do regente começa a dar-se aperceber na existência externa. Irá fazendo-se cada vez mais presente, à medida que o indivíduo avança


Avatar

O núcleo central de consciência do homem, regente da sua trajetória evolutiva, é denominado regente monádico, Oitava Mônada ou Regente-Avatar. A ele estão vinculados doze prolongamentos: sete mônadas, que se expressam no plano físico cósmico, e cinco Princípios, que se coligam com planos imateriais. O despertar cósmico de um indivíduo ocorre quando a mônada reconhece esse seu núcleo central, o verdadeiro Homem Cósmico, que ao plenificar-se ascende ao estado de Avatar. De maneira simplificada, pode-se dizer que no decorrer da evolução o ego humano é absorvido na alma, a alma namônada, e esta, junto com as outras seis e os cinco Princípios, no regente. Quando isso ocorre, o regente atingi a consciência de Avatar e penetra na essência da energia divina. Tal realização corresponde ainda à síntese de uma energia específica, e à absorção de um dos Aspectos emanados da Fonte primeva para a vida cósmica.

O desenvolvimento dessas fases transcorre de modo praticamente imperceptível para a consciência humana. Liberto da manifestação compulsória na matéria, o Avatar pode atuar em mundos materiais a serviço do Governo Celeste Central, exprimindo com perfeição um dos Aspectos divinos.

O nível de existência do Avatar é superior ao monádico e fundamenta-se na lei da síntese. No Avatar realizou-se a síntese das polaridades masculina e feminina. É um grau de realização após finalizadas as etapas de experiência no universo físico cósmico. A partir de então existirá nele tão-somente a essência da energia: neutra, assexuada, e não mais a união de polaridades. Isento de dualidades, de energias que ora se afinam, ora se contrapõem o Avatar encontra-se no estado original, que transcende qualquer divisão. Transcende verdadeiramente o âmbito das leis materiais.


                                                         Consciência de Avatar


                                                                   Regente

                                                                   Mônada

                                                                Corpo de Luz

                                                                      Alma


                                                                       Ego
                                                             
A consciência de Avatar representa a Unidade; é o portal da onipresença e da onisciência e o meio de contato com as Fraternidades Cósmicas. Um Avatar – participante da existência imaterial – manifesta-se no mundo concreto, quando necessário, para servir. O despertar de um Avatar não é fato isolado, individual; em todo o cosmo, mônadas coligam-se, compondo redes internas que evoluem sincronicamente rumo a essa meta. Dentro de uma visão bastante ampla, que transcende o tempo, a evolução de cada uma dessas consciências conta com a colaboração interna dos demais.

Quando a mônada e regente monádico se unificam, a energia do nível por ela tocado permeia toda a rede e a impulsiona. Algumas mônadas de uma mesma rede podem reunir-se num sistema planetário para assumir uma tarefa evolutiva. O regente monádico, que recebe e transmite a visão do que é o propósito do grupo assim reunido, atua sobre todas as mônadas que compõem o grupo. Esse circuito é um prolongamento do grande imã cósmico para o qual toda a vida se deixa atrair. A consciência do Avatar engloba vários níveis, e no seu caminho evolutivo busca integrar-se às nuanças da energia única às quais, em essência e como tarefa, está coligado. No universo físico cósmico, é transmissor dos desígnios dos Conselhos. Ao retornar aos mundos tangíveis, revela e canaliza de modo ímpar a potência de energias imateriais.

Os Avatares trazem em si imanente a vibração do sagrado, manifestam potenciais distintos e podem atuar em âmbito planetário, sistêmico, galático ou em outros ainda mais amplos. O termo avatar provém do sânscrito, avatâra, e também pode ser empregado para designar a encarnação de uma consciência divina. Consciência Avatar

Grau evolutivo alcançado pelo regente monádico quando absorve em si seus prolongamentos (as sete mônadas e os cinco Princípios), podendo então interagir em maior profundidade com os Raios cósmicos. Atingir esse grau significa iluminar a totalidade ser humano, pois uma energia sublime permeia então cada nível de consciência, cada corpo, até o patamar mais denso da existência. Ali também se esparge, o que promove notável elevação da vida planetária. O termo Avatar aplica-se não só ao ápice da evolução do homem mais pode designar consciências pertencentes a outras linhas evolutivas que expressem o mesmo estado e desempenhem funções análogas. Os Avatares exprimem com perfeição um Aspecto divino. As manifestações deles na Terra no decorrer das épocas, nos planos concretos ou nos internos, permitiu que ela não fosse destruída pelas forças caóticas e prosseguisse sua evolução.

Extraído do livro Glossário Esotérico de Trigueirinho

Download do Glossário Esotérico:http://www.4shared.com/document/Wvfbno3H/Glossario_esoterico.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Sites